Como evitar Infecções, Sintomas, Transmissão

Iremos esclarecer algumas dúvidas sobre a gripe, como os sintomas, os riscos, o que pode ser feito, e o seu tratamento. Também iremos aprender um pouco sobre candidíase, os sintomas e o que deve ser feito. Veremos mais sobre, as infecções por estafilococos, quais os tratamentos, dor de garganta por estreptococos, e mais tratamentos. Veremos ainda sobre, as infecções por Clamídias, o que deve ser feito, a Febre Amarela, Febre das montanhas Rochosas, os sintomas, os riscos e o que deve ser feito. Saberemos ainda um pouco mais sobre, a Tuberculose, Hanseníase, Raiva e Tétano....

INFECÇÕES

Os organismos que invadem o corpo e provocam infecções são disseminados de diversas maneiras. Pelo ar, por meio da tosse ou de espirros, ou por contato direto, como um aperto de mão, por exemplo.

Alguns agentes infecciosos que se propagam nos seres humanos são provenientes de animais ou de produtos animais (carne ou ovos).

Quando a disseminação é interrompida, diz-se que a doença foi erradicada, como é o caso da varíola, por exemplo.

Toda pessoa que tiver contraído uma doença infecciosa deve tomar precauções para não contaminar parentes, amigos e colegas de trabalho. Existem várias maneiras de evitar a disseminação de uma infecção.

Por exemplo, evitar apertos de mão e o manuseio de alimentos que outras pessoas poderão comer; bem como assoar o nariz em lenços de papel e não em lenços de tecido, pois dessa forma eles poderão ser jogados no lixo.

As infecções gastrointestinais geralmente são transmitidas devido à higiene precária, especialmente entre aqueles que preparam alimentos em restaurantes.

As pessoas com diarréia e/ou vômito devem lavar muito bem as mãos após ir ao banheiro. Elas não devem deixar ninguém utilizar sua toalha ou esponja de banho.

Se houver suspeita de uma Doença sexualmente transmissível, deve-se utilizar um preservativo ou abster-se de qualquer contato sexual até a confirmação do diagnóstico e, em caso positivo, até que a doença tenha passado do estágio no qual pode ser transmitida ou ainda até que esteja curada.

Quando os agentes infecciosos invadem o organismo, levam algum tempo para se multiplicar e provocar sintomas. O período anterior ao aparecimento dos sintomas é chamado de período de incubação e geralmente varia de dias a meses, dependendo da doença.

Os médicos conhecem os períodos de incubação de algumas doenças, de forma que é possível saber quando, onde e como isso ocorreu.

Os sintomas de uma infecção são provocados pela reação do organismo no combate a ela. Os glóbulos brancos do sangue atacam os organismos invasores tentando eliminá-los ou produzindo anticorpos para torná-los inativos.

A imunização, juntamente com medicamentos antibacterianos, antibióticos e antifúngicos, é freqüentemente utilizada para auxiliar as defesas naturais.

Entretanto, os antibióticos não têm efeito sobre a maioria dos vírus e, por isso, eles não são usados para tratar doenças virais, como resfriados e mononucleose infecciosa.

GRIPE

A gripe é provocada por um vírus que se dissemina entre as pessoas por meio de tosses, espirros e mais freqüentemente pelo contato físico, como ao cumprimentar com um aperto de mãos.

O vírus entra na parte superior do trato respiratório, através do nariz e da boca, e pode, também, invadir o restante do trato, incluindo os pulmões.

Os sintomas aparecem após um período de incubação (o tempo entre a infecção e o início dos sintomas), de um a quatro dias.

As epidemias de gripe, que contaminam muitas pessoas de uma comunidade, ocorrem no inverno ou no início da primavera.

Quais são os Sintomas ?

Entre os primeiros sintomas estão os calafrios, uma febre que pode chegar aos 40°C, espirros, dor de cabeça e de garganta, além de dores musculares.

Eles geralmente são acompanhados de uma tosse seca, curta e repetida e, freqüentemente, dores no peito.

A febre normalmente dura de três a cinco dias e faz com que a pessoa se sinta fraca por mais alguns dias.

Se não houver complicações, a recuperação se faz em uma ou duas semanas. A fraqueza poderá persistir por várias semanas após a recuperação.

Quais são os Riscos ?

As epidemias de gripe ocorrem a intervalos imprevisíveis. Pode não ocorrer nenhuma epidemia durante um inverno inteiro ou podem ocorrer duas ou três.

Em uma epidemia grave, a maioria das pessoas que vivem na região é afetada, manifestando ao menos uma forma branda da doença.

As epidemias se extinguem quando todos que foram contaminados por um determinado tipo de vírus tornam-se imunes a novos ataques do mesmo vírus.

Existem diversas linhagens desse vírus, sendo os mais comuns os tipos A e B. A imunidade contra uma linhagem é apenas temporária e poderá não proteger contra outros vírus da gripe.

O principal risco da gripe é uma infecção bacteriana se alastrar para os pulmões, através do trato respiratório superior e provocar bronquite ou até mesmo Pneumonia.

Tais complicações geralmente ocorrem em crianças muito novas, idosos, fumantes inveterados, diabéticos ou pessoas com doenças respiratórias e cardíacas crônicas.

O que Deve ser Feito?

Embora a gripe deva seguir seu próprio curso, os sintomas podem ser minimizados com as medidas de auto-ajuda aqui recomendadas. Provavelmente, não é necessária uma consulta médica, a menos que a pessoa esteja entre os grupos suscetíveis a complicações.

Se apenas uma pessoa em dada região tiver sintomas de gripe, ela poderá estar sofrendo de uma doença viral diferente.

Qual é o Tratamento ?

Auto-ajuda: é preciso repousar assim que os sintomas aparecerem e até que a temperatura volte ao normal. Adultos podem tomar uma aspirina ou substitutos da aspirina.

Uma criança ou adolescente deverá tomar um substituto da aspirina, devido à associação entre essa droga e a Síndrome de Reye.

Também devem ser consumidas grandes quantidades de água ou suco de frutas. Se a febre durar mais de três ou quatro dias, ou se a pessoa tiver falta de ar durante o repouso, deverá entrar em contato com um médico.

Ela poderá se sentir fraca e, possivelmente, deprimida por uma semana ou mais após a febre ter cedido e deverá repousar o máximo possível, até que tenha se recuperado completamente.

Ajuda Profissional: não existe nenhum tratamento específico para a gripe, pois os antibióticos não são eficazes contra os vírus.

Entretanto, a amantadina (uma droga antiviral) ocasionalmente evita, ou alivia, os sintomas provocados pelo vírus A da gripe, caso seja administrada logo que os sintomas se manifestem.

O médico também poderá receitar a amantadina antes do aparecimento dos sintomas, especialmente se existirem muitos casos de gripe na região, se a pessoa for idosa ou se tiver uma doença crônica.

Entretanto, se uma complicação, como uma pneumonia bacteriana, se desenvolver, serão prescritos antibióticos.

Os médicos recomendam que as pessoas com maior risco de complicações (incluindo bebês, idosos e aquelas com doenças pulmonares crônicas) tomem vacinas antigripais.

Como o vírus se modifica a cada ano, a vacina deverá ser renovada anualmente, embora não seja uma garantia de proteção.

A vacina protege a pessoa somente por um inverno, ou menos, apenas contra a linhagem para a qual ela é eficaz.

CANDIDÍASE

A Candida albicans é um fungo que existe freqüentemente em pequena quantidade na boca, no trato intestinal, na vagina e na pele.

Se as defesas imunológicas estiverem debilitadas, o fungo cresce rapidamente e provoca um distúrbio conhecido como afta.

As infecções provocadas por cândida, ou candidíase, geralmente ocorrem em pessoas que estão sendo tratadas com anticancerígenos, imunossupressores ou em pacientes de Aids.

A candidíase também ocorre quando os antibióticos destroem as bactérias geralmente presentes na boca, nos intestinos ou na vagina. A cândida normalmente contamina a superfície entre as dobras de pele em pessoas obesas.

Quais são os Sintomas ?

A candidíase oral provoca bolhas brancas no revestimento da boca e na garganta e fissuras nos cantos da boca. Essas bolhas podem ser doloridas ou não.

As aftas podem também afetar as dobras de pele úmidas e quentes sob os seios, entre as nádegas e na região genital.

Os homens podem desenvolver Balanite, e as mulheres, candidíase vaginal. A infecção do trato intestinal por cândida pode causar ulceração e levar a sintomas como diarréia com sangue, cólicas abdominais, tremores e febre alta.

Em pessoas com o sistema imunológico gravemente comprometido, a cândida pode se alastrar pela corrente sanguínea para todas as partes do corpo, inclusive o cérebro, os olhos e os ossos.

Essa forma de candidíase representa risco de vida.

O que Deve ser Feito?

Qualquer pessoa com o sistema imunológico debilitado deve prestar atenção a quaisquer sinais de uma infecção provocada por cândida.

Ao primeiro sinal, deve-se consultar um médico para um tratamento com antifúngicos.

INFECÇÕES POR ESTAFILOCOCOS

As bactérias Staphylococcus aureus geralmente habitam o nariz, a boca, o reto ou a área genital, sem que isso provoque qualquer tipo de infecção.

No entanto, se um ferimento, como uma perfuração, permitir que o organismo invada qualquer outra parte do corpo, as bactérias podem secretar substâncias tóxicas que fluem para os tecidos, provocando sua destruição.

As bactérias podem produzir abscessos com pus em qualquer parte do corpo, interna ou externamente. Pessoas com doença hepática ou renal crônica, diabete ou câncer são particularmente suscetíveis à infecção provocada pelos estafilococos.

Infecções Cutâneas por Estafilococos

Diversas infecções cutâneas comuns podem ser causadas por estafilococos. Alguns exemplos são os furúnculos, Impetigo, Celulite e Paroníquia (incluindo unheiro), que afeta as unhas.

Esse tipo de bactéria pode também contaminar qualquer corte ou ferimento aberto na pele.

Foliculite: essa infecção por estafilococos é uma versão menor de um furúnculo. Espinhas pequenas, com as cabeças brancas, surgem ao redor dos folículos capilares, em qualquer parte do corpo.

A fricção, o entupimento do folículo ou um ferimento (como um corte ao se barbear) podem provocar erupções cutâneas.

Síndrome da pele Escaldada Estafilocócica: essa infecção ocorre somente em bebês e crianças. Uma forma das bactérias estafilococos produz uma toxina que provoca bolhas d’água, deslocando a camada superior da pele.

Síndrome do Choque Tóxico: nessa doença, uma infecção estafilocócica em uma parte do corpo libera uma toxina na corrente sanguínea, provocando febre, diarréia e uma erupção cutânea semelhante à queimadura de sol, que eventualmente faz com que a pele descasque.

A síndrome do choque tóxico foi amplamente noticiada no início dos anos 80, devido a uma epidemia associada a infecções estafilocócicas causadas pelo uso de tampões vaginais.

Ela também pode ocorrer, embora seja menos comum, junto a feridas infectadas, infecções cirúrgicas ou outras infecções estafilocócicas.

A síndrome completamente manifestada pode levar a uma queda significativa da pressão arterial e à lesão do fígado, dos rins e de outros órgãos, podendo ser fatal se não for tratada imediatamente.

Complicações em ferimentos: qualquer ferimento na pele, seja um machucado ou um corte cirúrgico, pode sofrer complicações devido a infecções causadas por estafilococos comumente encontrados na pele. Os sintomas e sinais são pus, dor, vermelhidão, ardor, febre e calafrios.

Outras Infecções por Estafilococos

As bactérias estafilococos podem infectar qualquer parte do corpo. Nos olhos, elas provocam terçóis, alguns tipos de Conjuntivite e Celulite orbitária. Especialmente em mulheres que estejam amamentando, podem causar um Abscesso na mama.

As infecções estafilocócicas podem se desenvolver nos ossos e nas articulações devido a bactérias que se espalham através da corrente sanguínea.

À medida que circula, o organismo tende a alojar-se nos longos ossos dos braços e das pernas, ou em algum lugar das vértebras. Os pulmões podem ser afetados pela pneumonia estafilocócica.

Esse tipo de pneumonia pode resultar de bactérias na corrente sanguínea, de um abscesso em uma das válvulas do lado direito do coração ou se manifestar juntamente com a Gripe.

Se o estafilococos infectar o revestimento interno do coração, resultará em endocardite

Esse distúrbio poderá causar uma lesão cardíaca irreversível e, em alguns casos, é fatal. A intoxicação alimentar estafilocócica com cólicas, vômitos e diarréia poderá ocorrer se uma pessoa comer alimentos que contenham toxinas produzidas pela bactéria.

Essas bactérias provocam, embora raramente, uma infecção no cólon, quando um antibiótico mata diversos tipos de bactérias, inclusive aquelas que normalmente habitam o trato digestivo.

Isso pode desequilibrar os microrganismos nos intestinos, fazendo com que os estafilococos se multipliquem excessivamente e provoquem dor abdominal, abdome inchado e diarréia com sangue.

Qual é o Tratamento ?

Nos casos brandos de infecção estafilocócica, como a foliculite ou o furúnculo, a limpeza da área, com sabão e água, e a eliminação da causa da infecção geralmente acabam com o problema.

Se a infecção persistir, apesar do tratamento de auto-ajuda, ou se a pessoa apresentar sintomas graves, deverá consultar um médico. Ele, provavelmente, receitará o antibiótico adequado para combater a infecção.

INFECÇÕES POR ESTREPTOCOCOS

Como o Staphylococcus aureus, os estreptococos são bactérias normalmente encontradas na pele, no nariz e na garganta, e em qualquer outra parte do corpo onde parecem não causar mal algum.

Entretanto, as bactérias estreptococos também são responsáveis por um número substancial de dores de garganta e infecções com feridas.

Dor de Garganta por Estreptococos

É impossível distinguir uma dor de garganta provocada por uma infecção por Streptococcus pyogenes da que é causada por um vírus sem consultar um médico. Ambas as infecções, a bacteriana e a viral, são comuns na infância, entre 5 e 15 anos.

Se as amígdalas estiverem muito inchadas e intensamente vermelhas, a causa poderá ser a infecção por estreptococos. Para identificar esse tipo de infecção, o médico pedirá uma cultura da garganta (coleta de uma amostra das secreções da garganta para análise laboratorial).

Um exame “instantâneo” para estreptococos, feito no consultório, poderá fornecer resultados em 10 a 30 minutos. Se o estreptococos não estiver presente, a infecção normalmente será tratada como viral. Os sintomas iniciais das infecções virais são parecidos com os de um resfriado, com coriza e olhos lacrimejantes.

Infecções Cutâneas por Estreptococos

Os estreptococos são responsáveis por vários tipos de infecção cutânea, incluindo as associadas às queimaduras, cortes e contusões menos graves e, também, a incisões cirúrgicas infectadas. Os estreptococos também provocam a Celulite e o Impetigo.

Outras Infecções por Estreptococos

Essas bactérias vivem inofensivamente na boca, mas se houver uma lesão cardíaca (devido a um distúrbio congênito ou febre reumática), as bactérias podem contaminar as válvulas cardíacas, provocando uma doença potencialmente fatal, denominada Endocardite infecciosa semi-aguda. Outros estreptococos podem causar infecções urinárias e do trato genital feminino.

Qual é o Tratamento ?

Devido ao risco de complicações graves, todas as infecções por estreptococos devem ser tratadas por um médico.

Ele poderá realizar culturas da garganta ou de outras áreas do corpo ou pedir outros exames diagnósticos, inclusive exames de sangue, para identificar a causa da infecção. O tratamento com antibióticos geralmente é rápido e eficaz.

INFECÇÕES POR CLAMÍDIAS

As clamídias são um tipo de organismo microscópico diferente das bactérias, vírus ou fungos, mas que pode ser eliminado com o uso de alguns antibióticos. Elas são responsáveis por muitas doenças, inclusive algumas sexualmente transmissíveis.

Tracoma: é uma infecção clamidial da conjuntiva, o tecido úmido que envolve as pálpebras e a parte branca do globo ocular. Apesar de ser uma infecção relativamente rara, é a maior causa de cegueira no norte da África e no Oriente Médio.

Uretrite Não-gonocócica: as clamídias também provocam uma das doenças sexualmente transmissíveis mais comuns, a Uretrite não-gonocócica, uma inflamação do trato urinário. Os sintomas desse tipo de uretrite são dor ao urinar e um corrimento aquoso e mucoso.

Nos homens, as bactérias que produzem a Gonorréia também provocam um tipo de uretrite, mas a infecção clamidial é mais amena que a gonorréica e o corrimento é menos intenso.

A uretrite não-gonocócica é transmitida pelo contato sexual. Em uma mulher, a infecção pode resultar no Doença inflamatória pélvica e causar a infertilidade.

Linfogranuloma Venéreo: algumas cepas de clamídia provocam o linfogranuloma venéreo, também uma doença sexualmente transmissível.

O organismo é mais comum em climas tropicais, e as pessoas que têm muitos parceiros sexuais são mais propensas a contrair essa doença.

O sinal inicial da infecção é uma pústula ou uma bolha indolor que se desenvolve no pênis ou nos lábios da vagina cinco a 20 dias após o contato.

Duas a 12 semanas depois, aproximadamente, os gânglios linfáticos localizados na virilha incham dolorosamente, fundem-se, ficam avermelhados e liberam pus.

Às vezes, a infecção parece melhorar sem tratamento, mas surgem úlceras nos genitais. As complicações incluem cicatrizes que provocam estrangulamento dos tecidos (pequenas pontes de tecido que estreitam a abertura) na uretra, vagina ou reto.

O que Deve ser Feito ?

Ao notar sintomas de uma dessas doenças, deve-se consultar um médico. Os distúrbios provocados por clamídia são geralmente identificados em exames laboratoriais dos corrimentos vaginais e do pênis para medir os níveis de alguns anticorpos (substâncias que o organismo produz para combater as infecções). O tratamento é feito com antibióticos, que geralmente são eficientes no combate à infecção.

Nos casos de uretrite não-gonocócica e do linfogranuloma venéreo, que são doenças transmitidas sexualmente, todos os parceiros sexuais devem ser tratados para que não disseminem a doença.

FEBRE AMARELA

A febre amarela, provocada por um vírus que geralmente ataca o fígado, é transmitida por mosquitos. Ela normalmente ocorre na América Central e do Sul e em partes da África.

A imunização é bastante eficiente e necessária para aqueles que visitam regiões nas quais a febre amarela é um risco conhecido.

Os ataques de febre amarela variam de amenos a fatais. Um ataque ameno poderá provocar sintomas semelhantes aos da Gripe. Entretanto, em casos mais graves, os sintomas poderão incluir náusea, vômitos, sangramento gastrointestinal (visível nas fezes ou no vômito), dor abdominal e amarelamento da pele.

A pessoa poderá sentir-se deprimida e perturbada, podendo até entrar em coma. Como na maioria das doenças virais, não existe um tratamento eficaz para a febre amarela, mas a pessoa que sobreviver à doença ficará imune por toda a vida.

FEBRE DAS MONTANHAS ROCHOSAS

A febre das Montanhas Rochosas é uma doença provocada pela bactéria Rickettsia, que vive dentro de carrapatos. As pessoas são contaminadas pelas picadas desses parasitas. Entretanto, uma pessoa contaminada poderá não perceber a picada que provocou a doença.

Quais são os Sintomas ?

Aproximadamente dois dias depois da picada, a pessoa apresenta sintomas como dor de cabeça intensa; febre alta (entre 39°C e 40°C), fortes dores musculares e fraqueza. A maioria das pessoas também desenvolve uma erupção cutânea característica.

Ela geralmente começa com pontos vermelhos ou manchas nas palmas das mãos e nas solas dos pés, que, em seguida, se alastram para os punhos, tornozelos, pernas, braços e, finalmente, para o tronco.

A febre das Montanhas Rochosas também provoca calafrios, dor abdominal, náusea, espasmos nas costas, perturbação mental e, por fim, inconsciência. Os rins, o fígado e os pulmões também poderão ser afetados nos estágios mais avançados da doença.

Quais são os Riscos ?

Essa doença infecciosa é rara e foi identificada pela primeira vez na região das Montanhas Rochosas, nos Estados Unidos, mas houve registros em outras localidades, na América do Norte e do Sul.

A pessoa corre um risco maior de contaminar-se se um carrapato ficar grudado em seu corpo por muitas horas, ou se ela esmagar o carrapato ao tentar retirá-lo. Se a infecção não for tratada, poderá se agravar. Sete por cento dos casos são fatais.

O que Deve ser Feito ?

As medidas preventivas mais eficientes são evitar as áreas infestadas por carrapatos e usar roupas protetoras (principalmente calças compridas e meias).

Se uma pessoa estiver passando por uma área infestada, deverá inspecionar atenciosamente seu corpo, várias vezes por dia e na hora de deitar-se, para retirar qualquer carrapato.

A pessoa deverá consultar um médico imediatamente se levar uma picada e desenvolver os sintomas descritos. O médico confirmará o diagnóstico com dois exames de sangue consecutivos. O segundo teste, para medir o número de anticorpos (proteínas produzidas pelo corpo para combater infecções), é feito entre 10 e 14 dias após o início da doença.

Porém, o médico deverá iniciar o tratamento da infecção assim que suspeitar de sua existência, pois há um risco maior de lesão cardíaca e morte em caso de demora. Os antibióticos geralmente promovem a cura. Se a doença não for tratada imediatamente, é possível que a pessoa tenha que ser hospitalizada para tratamento de lesões nos rins, fígado e pulmões.

TUBERCULOSE

A tuberculose é uma doença que se desenvolve lentamente e que pode levar a uma debilitação crônica do organismo e até mesmo à morte se não for tratada. Em pessoas saudáveis, a tuberculose é provocada por uma micobactéria específica que é geralmente transmitida de uma pessoa a outra através do ar.

As micobactérias geralmente atacam os pulmões, mas também podem se alastrar para outras partes do corpo, especialmente o cérebro, os rins ou os ossos.

Conforme se multiplicam, elas criam uma área de inflamação na qual os tecidos são destruídos. Em seguida, é provável que se alastrem para os gânglios linfáticos mais próximos.

Durante a fase primária da infecção, ou primeira fase, que pode durar vários meses, as defesas naturais do organismo resistem à doença destruindo ou capturando a maioria das micobactérias em uma cápsula fibrosa. Freqüentemente, a doença não evolui além dessa fase.

Entretanto, algumas das micobactérias encapsuladas permanecem vivas e podem reativar a infecção se a pessoa tornar-se fraca, debilitada ou subnutrida, o que baixa a imunidade.

A pessoa pode ser novamente infectada se mantiver contato próximo e prolongado com alguém que tenha tuberculose ativa. A fase secundária da tuberculose afeta com maior freqüência os pulmões, e a lesão pulmonar resultante diminui a capacidade de respiração.

Da mesma forma, as pequenas bolsas de micobactérias capturadas em qualquer outro local do corpo podem se tornar ativas. Em geral, esses ataques secundários de tuberculose podem ser interrompidos se tratados adequadamente com antibióticos.

Quais são os Sintomas ?

O estágio primário da tuberculose geralmente não provoca sintomas ou provoca alguns semelhantes ao do resfriado. A pessoa pode não saber que teve tuberculose durante muitos anos, até que um dia faça um exame de raios X do tórax ou um teste cutâneo.

Se a infecção evoluir para o estágio secundário, a pessoa poderá ter um pouco de febre, suores noturnos, perda de peso e cansaço sem causa aparente.

A tuberculose dos pulmões, o tipo mais comum, provoca uma tosse inicialmente seca, mas que eventualmente produz um muco com pus ou expectoração, às vezes com resíduos de sangue ou muito sangue.

Poderá ocorrer também falta de ar, além de dor no peito. Se qualquer outro órgão for afetado, os sintomas de uma infecção nesse órgão aparecerão gradualmente.

Quais são os Riscos ?

A incidência da tuberculose voltou a aumentar a partir de meados dos anos 80, quando começou a aparecer como resultado da epidemia de Aids.

As pessoas contaminadas com o vírus da imunodeficiência humana (HIV) são mais suscetíveis à tuberculose como resultado de um sistema imunológico debilitado.

Qualquer pessoa com tuberculose aparentemente inativa que seja contaminada com o HIV está mais propensa a desenvolver a doença em sua forma ativa.

Também em risco estão as pessoas que têm contato com pessoas nascidas em países onde a taxa de tuberculose é alta. Outro grupo de risco é composto por pessoas que vivem em asilos, pois a doença se espalha rapidamente entre os idosos.

O que Deve ser Feito ?

Deve-se consultar um médico se houver emagrecimento sem motivo aparente, mal-estar geral, ou febre com suores e tosse persistente. O exame médico, bem como o de uma amostra de escarro e uma chapa de raios X do tórax são necessários para diagnosticar a tuberculose. A tuberculose é uma doença de notificação obrigatória.

Qual é o Tratamento ?

Auto-ajuda: a pessoa deverá seguir as recomendações médicas cuidadosamente. Devese tomar os medicamentos receitados regularmente e seguir uma dieta balanceada de alimentos naturais.

Se a pessoa se descuidar do tratamento, bactérias resistentes a antibióticos poderão se desenvolver, tornando a cura mais difícil. Ela também terá que repousar bastante, o que também é essencial para uma recuperação completa.

Ajuda Profissional: são usadas drogas específicas para tratar a tuberculose, e uma combinação delas deverá ser tomada, ininterruptamente, por vários meses. Se um órgão contaminado for gravemente afetado, talvez seja necessária uma cirurgia para removê-lo.

Após um tratamento bem-sucedido, a pessoa deverá se submeter a check-ups periódicos completos, com a freqüência recomendada pelo médico, para garantir que a doença não atacará novamente. Os medicamentos adequados são fornecidos nos postos de saúde.

HANSENÍASE

O mal de Hansen (hanseníase, ou lepra, como era conhecida no passado) é uma doença bacteriana que, ao contrário do que muita gente acredita, só pode ser contraída por meio do contato íntimo e prolongado com uma pessoa doente.

Apesar de não ser fatal, é uma moléstia capaz de desfigurar e até mesmo mutilar, pois provoca danos permanentes à pele e aos nervos.

Entre os sintomas estão manchas descoloridas e endurecidas na pele; ao mesmo tempo, os nervos doentes provocam a paralisia dos músculos nas áreas afetadas. A lesão nos nervos provoca perda de sensibilidade nas mãos e nos pés, de forma que um ferimento nos dedos pode passar despercebido.

O mal de Hansen é uma doença das regiões tropicais que atinge cerca de 20 milhões de pessoas em todo o mundo. É curável graças a medicamentos modernos, mas o tratamento é lento e, às vezes, é necessário mantê-lo durante muitos anos para prevenir reincidência. As pessoas afetadas podem ficar com deformidades permanentes.

RAIVA

A raiva é uma doença que afeta animais e seres humanos, provocada por um vírus que pode se propagar por mordidas ou arranhões. Quando uma pessoa é mordida ou arranhada por um animal contaminado, o vírus da raiva vai para o nervo mais próximo do ferimento e depois segue até o cérebro através das vias nervosas.

A raiva é potencialmente fatal. O primeiro sintoma dessa perigosa doença é febre e um mal-estar geral, como em qualquer infecção viral.

Entretanto, após dois ou três dias de mal-estar, a pessoa pode tornar-se irracional e ter fortes espasmos na boca e na garganta. Apesar de a pessoa ter muita sede, esses espasmos pioram quando tenta beber água, caracterizando a hidrofobia (horror a líquidos). Nesse estágio, é provável que a pessoa venha a falecer dentro de poucos dias.

O período de incubação — tempo entre a contaminação e o aparecimento dos sintomas — varia de dez dias a dois anos, mas normalmente vai de um a três meses. Os animais que mais freqüentemente transmitem a raiva são o cachorro, o morcego e o gato.

O que Deve ser Feito?

Hoje em dia, uma vacina segura e confiável está disponível, e veterinários, ou qualquer pessoa em contato constante com animais, devem ser vacinados regularmente.

Se alguém for mordido ou arranhado por um animal que possa ter raiva, deverá consultar um médico imediatamente. Qualquer minuto perdido poderá aumentar o perigo de uma infecção fatal.

Se possível, o animal deverá ser capturado, mas não sacrificado, pois poderão ser realizados exames para verificar se ele tem raiva.

Enquanto isso, a pessoa provavelmente receberá uma série de vacinas anti-rábicas, na tentativa de evitar que a doença evolua. Os animais domésticos devem sempre ser vacinados.

TÉTANO

O tétano é uma doença grave e freqüentemente fatal. Ele é causado pelas bactérias Clostridium tetani, que vivem no solo. Essas bactérias podem invadir o corpo humano a partir de qualquer ferimento que entre em contato com a terra.

A infecção também pode ocorrer através de um arranhão feito por um objeto contaminado, como um prego ou um espinho.

Uma toxina produzida pelas bactérias ataca as células nervosas na medula espinhal que controlam a atividade muscular. Após um período de incubação, que pode durar apenas dois dias ou até duas ou mais semanas, os músculos tornam-se rígidos e sujeitos a espasmos dolorosos.

Como atualmente existe imunização contra o tétano, a doença tornou-se mais rara. Os bebês são imunizados contra a doença no seu primeiro ano de vida e doses de reforço são geralmente aplicadas a cada dez anos.

Apesar do tratamento com drogas anticonvulsivantes e relaxantes musculares, aproximadamente 40% de todos os casos de tétano acabam em morte, geralmente devido à asfixia.

O que Deve ser Feito ?

Cada membro da família deverá ser imunizado contra tétano e receber uma dose de reforço a cada dez anos. Deve ser mantido um registro das datas de aplicação das injeções antitetânicas para todos os membros da família, para que se tenha certeza de que todos estão protegidos.

Todos os cortes deverão ser limpos com sabão e água e um anti-séptico deverá ser aplicado. Isso é importante principalmente nos cortes feitos em ambientes abertos, onde a contaminação é mais comum, e em ferimentos com perfuração da pele, como os feitos com um prego enferrujado, pois, pela dificuldade de limpeza, fornecem um ambiente particularmente favorável ao crescimento das bactérias.

Qualquer pessoa não imunizada que sofrer um ferimento com perfuração precisa de atendimento médico sem demora para que receba uma injeção antitetânica o mais rápido possível e seja feita uma limpeza do ferimento.

Se o tétano se manifestar, a pessoa deverá ser hospitalizada o mais rápido possível. O tratamento inclui antibióticos e injeções de uma antitoxina.

Ela poderá receber relaxantes musculares e a respiração poderá ser auxiliada ou assumida por um ventilador. O objetivo do tratamento é manter o corpo funcionando por várias semanas enquanto a doença segue seu curso normal.


2 Respostas a Como evitar Infecções, Sintomas, Transmissão

  1.  
    william 22 / 02 / 2012

    Meu poodle esta com pus no penis,o que devo fazer a respeito?

  2.  
    emanoela 08 / 04 / 2013

    Gostei do site me ajudou muito. Mais oque melhoraria e se você colocasse em tópicos seria muito mais fácil achar, oque eu esta procurando.
    Obrigada Pela Sua Atençao

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>