Como Prevenir uma Gravidez Indesejada

PLANEJAMENTO FAMILIAR

As ações de medicina preventiva constituem-se em procedimentos importantes para prevenir as doenças ou para diagnosticá-las em fases iniciais, orientando apenas para o tratamento correto.

Prevenir as doenças é a maneira mais eficaz e barata na manutenção da saúde.

Várias Ong’s, vem desempenhando o seu papel junto à comunidade rural, ensinando aos produtores, aos trabalhadores e a seus familiares as medidas mais importantes na prevenção de doenças, para se obter a saúde física e mental desejada.

INTRODUÇÃO

Como o próprio nome já diz, é necessário que se planeje a família, isto é, cabe aos casais determinarem o número de filhos que desejam ter.

Esse planejamento resguarda um futuro melhor, pois haverá uma melhor distribuição de renda em famílias menores, possibilitando melhores condições educacionais.

Se o crescimento mundial continuar dessa forma, as previsões apontam para 30 bilhões de pessoas daqui a 100 anos.

Isso não seria adequado, pois não haveria alimentos, recursos naturais (água, rios) e nem estabilidade política e socioeconômica.

Para que isso não ocorra, é necessário orientar a população, por meio do Planejamento Familiar. No Brasil, a cada ano que passa, aumenta o número de mães jovens (Gravidez na Adolescência), abaixo dos 16 anos.

Muitas vezes, essas mães ainda não estão preparadas para a gravidez e acabam engravidando sem saber as conseqüências.

Isso ocorre, entre outros fatores, devido à falta de informações sobre os métodos anticoncepcionais que controlam a gestação.

PREVENÇÃO

Existem vários métodos usados para o planejamento familiar.

Os métodos anticoncepcionais (que evitam a gravidez) conhecidos são os seguintes:

1. Métodos Naturais (Alguns):

a) Coito Interrompido: retirada do pênis antes da ejaculação;

b) Tabela (Calendário): não é 100% seguro, pois existe a possibilidade de ocorrer a gravidez fora do meio do ciclo (período de ovulação);

c) Amamentação: a lactação (amamentação) também é utilizada como método anticoncepcional, pois é a época em que a mulher não menstrua e fica sem ovular.

2. Métodos de Barreira: Impedem que os espermatozóides passem para o colo uterino.

a) Preservativo (Camisinha): é colocada no pênis;

b) Diafragma: é colocado no colo uterino horas antes do ato sexual. Deve ser mantido no local até seis ou 8 horas após o ato sexual;

c) Condom Feminino: semelhante a um preservativo, é colocado dentro da vagina;

d) Espermaticidas: são cremes, geléias, óvulos e comprimidos, que afetam os espermatozóides;

e) DIU: é colocado, pelo médico, dentro do útero. Pode ocorrer dores pélvicas, sangramento e infecções.

3. Anticoncepção Hormonal: é feita por meio de hormônios.

a) Pílula Anticoncepcional Oral: é o método mais utilizado. É muito eficaz (melhor), mas apresenta efeitos colaterais, como: náuseas, obesidade, mal-estar, dores de cabeça, inchaço, sonolência etc.;

b) Injeções: podem ser mensais (todo mês), bimestrais (a cada 2 meses), trimestrais (a cada 3 meses). Podem causar distúrbios menstruais e obesidade (engordar);

c) Implante Subdérmico: é colocado sob a pele e tem duração de até 5 anos. Possui alta eficácia; porém, causa distúrbio menstrual;

d) Anéis Vaginais: anéis com hormônios são colocados na vagina. Tem validade de 3 semanas a 3 meses.

4. Métodos Considerados Definitivos:

a) Ligadura das Tubas (trompas): é feita, geralmente, após o parto ou após a cesárea, mas pode ser realizada em outra época;

b) Ligadura dos Canais Deferentes: é conhecida como vasectomia ou ligadura dos deferentes. É feita,”amarrando” o ducto ejaculatório deferente (local de onde sai o esperma), logo acima dos testículos.

 

1 comentário a "Como Prevenir uma Gravidez Indesejada"

  1. QUAIS SÃO OS RISCOS DA GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA?
    Algumas adolescentes escondem a gravidez por medo da reação dos pais, familiares e amigos. Como sabemos, a gravidez é uma fase que requer cuidados e acompanhamento de pré-natal. Se a adolescente decide fazer um aborto, além de estar cometendo um crime do ponto de vista cristão, os riscos para sua saúde são ainda maiores. Além de perder o bebê, a mãe pode perder também a própria vida.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*