Evitar Quedas, Demência e Incontinência no Idoso

Tudo sobre a saúde de um idoso, doenças e cuidados na terceira idade. Aprenderemos mais sobre alguns tipos de cuidados especiais com os idosos como: problema de pele, púrpura senil e a coceira. Estudaremos um pouco sobre a incontinência no idoso, o que deve ser feito e qual o tratamento adequado. Veremos também um pouco sobre a osteoporose, os riscos, o que deve ser feito e seu tratamento. E ainda, como evitar quedas, e seus sentidos como a visão e a audição. Veremos também um pouco sobre a demência, os sintomas e o que deve ser feito....

SAÚDE NA TERCEIRA IDADE

O envelhecimento é um processo que afeta cada indivíduo de forma diferente. Alguns hábitos, como fumo, bebida, alimentação e prática de exercícios, atuam sobre a saúde e o grau de envelhecimento.

Tal fato não deve ser comparado ao esgotamento inevitável dos sistemas orgânicos. Você não deve esperar nem aceitar que a doença esteja implícita no envelhecimento. Os problemas discutidos nesta seção são aqueles que mais comumente afetam os idosos.

Cuidados Especiais com Idosos:

Qual é a idade para se considerar idoso? Existe alguma verdade no ditado “você é tão velho quanto se sente”. Muitas pessoas com 75, 80 anos ou mais são tão ativas quanto eram aos 60 anos; porém, alguns sexagenários parecem, física e mentalmente, muito mais velhos.

Todos podemos usufruir dos avanços científicos que beneficiam a saúde; além disso, a medicina preventiva é importante em todas as idades. Os brasileiros, por exemplo, aumentaram seu tempo médio de vida, e os mais idosos têm se beneficiado de apoio social e psicológico.

Os distúrbios físicos e mentais que afetam principalmente os idosos em geral atingem também suas famílias. Por esse motivo, a maioria dos artigos desta seção contém sugestões para seus familiares.

CUIDADOS COM OS IDOSOS

Os efeitos de algumas doenças somados ao processo natural de envelhecimento podem fazer com que uma pessoa tenha dificuldade para enfrentar, mental ou fisicamente, tarefas diárias. Muitos idosos são extremamente independentes e às vezes escondem uma incapacidade porque sentem medo de ser levados para uma casa de repouso.

Entretanto, somente 5% dos idosos vivem internados — em clínicas públicas ou particulares. Os outros 95% são independentes, ou dependem de amigos ou familiares.

A maioria dos idosos se sente mais segura quando é cuidada por parentes que moram junto ou perto. Entretanto, isso é freqüentemente um desafio para as famílias envolvidas e é prático somente enquanto o idoso pode cuidar de si mesmo.

O tratamento em casa é recomendado somente para idosos que não têm outras alternativas. Muitos se adaptam bem à vida em uma casa de repouso, mesmo após algumas dificuldades iniciais, mas é importante que a família acompanhe a qualidade do atendimento.

A decisão de colocar um parente em uma casa de repouso ou clínica especializada é muito difícil. Por isso, é melhor discutir tal decisão com o médico e com os outros membros da família para garantir que se tenha a melhor solução para todos os envolvidos.

IDOSO: PROBLEMAS DE PELE

A pele envelhecida torna-se muito mais fina, enrugada e menos flexível, pois ocorre uma alteração gradual na natureza dos elementos fibrosos e elásticos que a mantêm maleável e macia.

Essas e outras mudanças são irreversíveis, e durante o processo de envelhecimento, a pele também pode ficar mais suscetível a alguns problemas. O fumo acelera a formação de rugas. Além disso, várias manchas e placas pigmentadas tendem a aparecer na velhice.

Chamadas de manchas da idade, podem surgir e desaparecer e geralmente não oferecem risco.

Púrpura senil:

Áreas vermelhas ou roxas, às vezes com até 5 cm de diâmetro, podem aparecer em qualquer lugar do corpo, mas são geralmente mais perceptíveis nas pernas, antebraços ou mãos. Elas são provocadas por sangramentos sob a pele.

Nesses casos, o sangue vaza lentamente de pequeninos vasos que foram danificados pela perda de elasticidade da pele. Apesar de o sangue ser reabsorvido gradativamente, o problema é irreversível e as manchas podem voltar.

A maioria dessas manchas não é prejudicial; porém, deve-se consultar um médico para exame de qualquer mancha que o preocupe, pois existe a possibilidade de câncer de pele. Grande parte dos cânceres de pele pode ser curada se tratada no início.

Coceira:

Ao envelhecer, sua pele pode ficar extremamente seca e coçar. Se a coceira for constante, consulte um médico, que verificará se existe uma outra condição, como a Icterícia.

Se não houver outro motivo além da idade, ele poderá recomendar uma pomada ou loção juntamente com um sabonete especial e instruir para não lavar a pele constantemente com água e sabonete comum.

INCONTINÊNCIA NO IDOSO

Incontinência é o termo utilizado para a emissão incontrolável e involuntária de urina, fezes ou ambos. Tanto nos idosos como nos jovens, é geralmente causada por uma condição subjacente, como um distúrbio no trato urinário ou um problema nos nervos que controlam a bexiga e os intestinos.

Ela não deve ser vista como um fator inevitável do envelhecimento; porém, é muito mais comum nos idosos do que nos jovens. Isso ocorre porque a eficiência dos músculos esfíncteres e o tônus de outros músculos, ligados aos tratos urinário e digestivo, diminuem com a idade.

Normalmente, a incontinência desaparece após o tratamento bem-sucedido da condição subjacente. Por exemplo, uma infecção do trato urinário ou problemas da Próstata são causas comuns do distúrbio.

Da mesma forma, algumas doenças gastrointestinais ou uma dieta pobre em fibras são geralmente responsáveis pela perda do controle intestinal.

Poucas pessoas com incontinência sofrem de um distúrbio maior, como Derrame, Lesão na medula espinhal ou demência. É possível que, em alguns desses casos, o distúrbio causador da incontinência não responda ao tratamento. Por isso, ela é tratada como um problema isolado.

A maior parte dos idosos com esse tipo de problema sofre somente de incontinência urinária. Alguns não conseguem controlar a vontade de urinar em ocasiões nas quais o acesso ao banheiro é complicado.

Se a bexiga estiver cheia, é possível que eliminem urina ao tossir ou espirrar. Outros sentem um desejo incontrolável de urinar, mesmo que haja muito pouca urina para expelir.

A incontinência intestinal está em grande parte relacionada ao controle nervoso e muscular. Há uma exceção no caso da impactação fecal, que é o acúmulo de uma massa de fezes em um ponto do intestino.

O bloqueio parcial do reto por uma grande massa de fezes endurecidas dificulta os movimentos intestinais; porém, essa massa não é grande o suficiente para evitar que a parte mais líquida das fezes passe por ela. Se o bloqueio evoluir muito, poderá pressionar a bexiga e provocar também incontinência urinária.

O que Deve ser Feito ?

Independentemente da idade, a pessoa afetada deve consultar um médico, que provavelmente solicitará exames para ter um diagnóstico mais preciso, caso não consiga controlar a bexiga ou os intestinos.

Se a situação for reversível, o paciente é tratado; caso contrário, muitas coisas poderão ser feitas para amenizar os desagradáveis efeitos desse distúrbio.

Qual é o Tratamento ?

Auto-ajuda: é possível readquirir certo controle sobre a bexiga se a pessoa afetada for ao banheiro a intervalos regulares (a cada duas ou três horas). Recomenda-se que seu quarto fique próximo a um banheiro e que seja mantida uma comadre ao seu alcance. As roupas devem ser fáceis de tirar. Todos os banheiros deverão ser de uso fácil. Suportes ao lado do vaso sanitário poderão ser úteis.

A pessoa com essa condição poderá usar lembretes ou até um despertador para lembrarse de ir ao banheiro regularmente. Na incontinência urinária, deve-se moderar o consumo de líquidos e não beber nada entre o jantar e a hora de ir para a cama.

Na incontinência intestinal, é preciso alimentar-se com dieta rica em fibras e líquidos. Se o intestino não funcionar após o café da manhã, é recomendado utilizar um supositório de glicerina. Se não evacuar, deve tentar novamente no dia seguinte.

Quando as mulheres envelhecem, os músculos da parede pélvica — que sustentam a bexiga, o intestino e o útero — podem enfraquecer. Se você sofrer de incontinência urinária, o médico poderá recomendar que faça exercícios em casa para fortalecer esses músculos.

Contraia os músculos da mesma maneira que faria para parar o fluxo de urina ou fezes. Relaxe e repita este exercício 20 ou 25 vezes, diversas vezes por dia. Isso poderá ajudar a controlar a saída da urina pela contração da abertura da bexiga.

Ajuda Profissional: o médico poderá receitar um medicamento que estabilize a atividade da bexiga para que os horários de urinar sejam mais esparsos. Entretanto, ainda não foram desenvolvidos medicamentos eficientes para a estabilização do intestino. Se você sofrer de impactação fecal ou prisão de ventre crônica , consulte um médico.

Existem muitos dispositivos úteis para auxiliar no caso de incontinência. O médico poderá informar sobre eles. Um exemplo é a calcinha descartável, que absorve a urina em uma camada porosa externa e neutraliza o odor, deixando a camada próxima à pele relativamente seca.

Outro dispositivo, feito para homens, é um preservativo modificado, que é utilizado sobre o pênis e ligado por um tubo a uma bolsa, que pode ser esvaziada periodicamente.

Em alguns casos mais graves, é introduzido um tubo plástico na bexiga, que leva a urina para uma bolsa que poderá ser esvaziada e limpa regularmente. É necessário que a sonda seja trocada, periodicamente, por um médico ou profissional treinado.

OSTEOPOROSE PREVENÇÃO

Os ossos afetados pela Osteoporose quebram-se mais facilmente. Essas fraturas podem ser fatais em pessoas idosas cuja saúde geral é frágil, sendo, portanto, fundamental tentar evitar esse tipo de acidente.

A osteoporose não é simplesmente a falta de cálcio nos ossos. Na osteoporose a estrutura da proteína dos ossos fica prejudicada, de modo que menos cálcio é absorvido por essa estrutura.

Os ossos ficam mais leves, menos densos, mais fracos e, conseqüentemente, mais sujeitos a fraturas. A estrutura da proteína dos ossos é constituída parcialmente como resultado da estimulação dos hormônios sexuais masculino e feminino na infância, adolescência e nos primeiros anos da fase adulta.

Ela é reforçada pelos depósitos de fosfato de cálcio e outros minerais. O osso é um tecido vivo e, ao longo da vida, suas células são constantemente substituídas e sua forma se altera.

Esse processo de crescimento é controlado pelos hormônios e vitaminas; ele também é influenciado por fatores como atividade física. Da mesma forma que outros tecidos, como o músculo, o osso também é afetado pela freqüência com que é usado. A falta de uso estimula o seu desgaste.

A pele, os músculos e os ossos também são vulneráveis ao processo de envelhecimento, que faz com que o osso se torne menos denso, em parte por ser pouco usado.

Um certo grau de osteoporose é parte natural e inevitável do envelhecimento. A redução da densidade óssea que ocorre com o envelhecimento pode evoluir de forma mais rápida ou mais lenta, dependendo de fatores individuais.

QUEDAS NA TERCEIRA IDADE

Qualquer um está sujeito a quedas, mas elas têm conseqüências mais sérias entre os adultos, principalmente em pessoas acima de 65 anos. Muita gente negligencía as medidas de precaução, e vivem em casas cheias de armadilhas potenciais, com pisos derrapantes e escadas.

Inevitavelmente os reflexos diminuem com a idade e, além disso, alguns idosos têm problemas de visão, saúde debilitada e ossos mais frágeis — o que freqüentemente faz da queda um traumatismo grave.

No processo de envelhecimento, as pessoas tornam-se mais suscetíveis a problemas como a Doença de Parkinson e vários distúrbios circulatórios e problemas artríticos que podem afetar sua coordenação motora e o equilíbrio. Alguns medicamentos, especialmente soníferos e tranqüilizantes, eventualmente aumentam o risco de quedas.

Quais são os Riscos ?

Sem dúvida, as quedas são o tipo mais comum de traumatismo em pessoas acima de 65 anos devido aos fatores acima descritos. As mortes provocadas por quedas, ou por complicações diretamente relacionadas a elas, somam mais da metade dos óbitos acidentais em idosos.

No setor de ortopedia de um hospital, por exemplo, geralmente a maioria dos pacientes com fratura óssea é do sexo feminino. Isso ocorre porque os ossos femininos tornam-se mais frágeis do que os masculinos e também porque o número de mulheres no grupo dos idosos é maior.

Até mesmo para pessoas acima de 65 anos, muitas quedas provocam apenas contusões. No entanto, a fragilidade da pele e dos pequenos vasos sanguíneos dos idosos pode aumentar e agravar essas contusões, mesmo quando são causadas por tombos pequenos.

Existe o risco, também, de o idoso tropeçar e cair sobre algum objeto perigoso: um fogão, por exemplo — nesses casos, ao tentar buscar apoio, pode agarrar-se em cabos de panelas com líquido fervente.

Outro risco é bater a cabeça: às vezes, uma batida aparentemente sem gravidade desencadeia um sangramento interno na região posterior do crânio.

Uma das conseqüências mais comuns da queda de um idoso é a fratura de um ou mais ossos — em geral, eles são os mesmos que costumam ser fraturados em pessoas de todas as idades . No entanto, as chances de o osso afetado ser o fêmur aumentam significativamente após os 50 anos.

Além das lesões normais, uma queda pode ter conseqüências indiretas graves. Por exemplo, se alguém que está sozinho levar um tombo, corre o risco de não conseguir levantar-se e ficar imobilizado, sujeito ao frio por horas ou dias.

Isso aumenta as chances de ocorrer uma Hipotermia, Pneumonia ou até mesmo a morte. Em casos de fratura, longos períodos de imobilização podem exaurir ainda mais os minerais contidos nos ossos, enfraquecendo-os, o que ocasionalmente resulta em uma Trombose venosa profunda nas pernas e na pelve.

Alguns idosos que já passaram pela experiência de quedas graves podem ficar tão amedrontados com a possibilidade de um novo acidente desse tipo que se tornam pouco ativos e sem confiança; chegam até mesmo a passar a maior parte do tempo deitados, evitando sair de casa.

O que Deve ser Feito ?

Proteja-se contra quedas seguindo as recomendações encontradas na animação Como evitar quedas. Se morar sozinho, descubra um jeito de alertar as pessoas no caso de ter um problema.

Alguns idosos sempre levam consigo um dispositivo para chamar a atenção – por exemplo, um apito. Outros mantêm um acordo com os vizinhos, que verificam se está tudo bem baseados em hábitos regulares, como um horário certo de abrir a janela, a cortina ou dar um passeio. Assim, quando um hábito é interrompido, o vizinho pode checar se está tudo bem.

Entretanto, um conselho: cuidado para não desenvolver uma rotina ou dar sinais que sejam úteis a ladrões. Se for possível, mantenha uma rotina de telefonemas e visitas a amigos e familiares.

Lembre-se de que mesmo poucos dias na cama podem enfraquecer e enrijecer os músculos e as articulações, diminuindo seu equilíbrio; portanto, mantenha-se ativo.

Se perceber que perdeu um pouco do equilíbrio, consulte um médico. Ele pode solicitar uma bateria de exames para verificar se o problema é provocado por um distúrbio passível de tratamento. Sempre consulte um médico após sofrer uma queda grave, mesmo que não tenha havido conseqüências aparentes.

Se estiver com alguém que caiu ou se encontrar uma pessoa que esteja aparentemente imobilizada devido a uma queda, execute os procedimentos de primeiros socorros adequados. Entretanto, não mova a pessoa se houver suspeita de uma lesão nas costas.

Se o idoso sentir dores, deverá ser examinado prontamente por um médico. Se encontrar alguém inconsciente, busque ajuda médica imediatamente e permaneça com a pessoa até que o socorro chegue.

Qual é o Tratamento?

A prevenção é a melhor forma de evitar as graves conseqüências das quedas. Os idosos com problemas de visão devem consultar um oftalmologista e, se precisarem de óculos, não devem deixar de usá-los.

Aqueles que tomam medicamentos devem avisar o médico sobre qualquer alteração que possa estar relacionada aos efeitos do remédio. Além disso, um programa de exercícios regulares promoverá o fortalecimento das pernas; se necessário, utilize algo para ajudá-lo a caminhar, como uma bengala.

É provável que a dor e o desconforto causados por uma queda sejam consideráveis mesmo que não haja ossos fraturados. (Se houver qualquer possibilidade de fratura, vá até um pronto-socorro, onde possam ser tirados raios X.)

É importante aliviar a dor com aspirina ou acetaminofeno. Quando tiver certeza de que não há traumatismos graves, faça a pessoa se movimentar novamente. Compressas frias nas primeiras 24 horas e quentes depois desse período podem reduzir a dor e o inchaço das contusões.

A aplicação de calor com uma bolsa de água quente ou cinta térmica pode ajudar a aliviar o enrijecimento muscular. Veja também Entorses e distensões musculares.

Os idosos que receberam tratamento hospitalar para fraturas (ou para qualquer doença incapacitante) deverão indagar sobre o atendimento domiciliar e cuidados que devem tomar durante o período de recuperação.

Como Evitar as Quedas

Em função dos riscos que uma queda representa para qualquer pessoa, todas, independentemente da idade, devem seguir as sugestões abaixo. Os idosos, entretanto, são mais propensos a ter problemas resultantes de um tombo.

Se você tiver mais de 65 anos ou for responsável, de qualquer forma, pelo bem-estar de outra pessoa, leia cuidadosamente as seguintes recomendações.

1. Se precisar de óculos, use-os, mas evite andar com os indicados para leitura. Retireos antes de se locomover.

2. Se sentir falta de equilíbrio, use uma bengala. Não hesite em utilizar um andador dentro ou fora de casa para ter mais segurança ou se isso for recomendado por um médico.

3. Use sapatos sem saltos e confortáveis ou chinelos com solas antiderrapantes. Evite sapatos de amarrar, pois os laços podem se soltar e fazer com que você tropece.

4. Certifique-se de que o carpete e outros revestimentos de piso estão bem presos no chão. Nunca coloque tapetes sobre superfícies lisas e enceradas.

5. Mantenha todas as áreas potencialmente perigosas, como escadas e entradas, adequadamente iluminadas.

6. É fundamental um corrimão forte em escadas internas e externas. Instale um nos pontos necessários.

7. Mantenha um abajur na mesa-de-cabeceira ou uma luz de baixa voltagem no quarto para que não tenha que tatear se desejar ir ao banheiro durante a noite.

8. Instale suportes seguros perto do chuveiro e do vaso sanitário e coloque tapetes antiderrapantes dentro e fora do boxe.

9. Faça o possível para diminuir a desordem nos cômodos, principalmente se houver crianças em casa. Os brinquedos, em especial os de rodas, são perigosos.

10. Não deixe fios de aparelhos elétricos soltos no chão. Sempre que possível, eles devem estar presos às paredes.

11. Guarde pratos, roupas e outros objetos de uso freqüente em locais onde possam ser facilmente alcançados, sem ter que usar um banco ou cadeira. Se precisar subir em algo para pegar um objeto em uma prateleira alta, use uma escada firme ou uma cadeira forte.

IDOSO E OS SENTIDOS

Os sentidos, principalmente a visão e a audição, são passíveis de degeneração. Muitas vezes, entretanto, a perda da sensibilidade não é resultado do processo de envelhecimento e pode ser tratada.

Mesmo quando o problema é irreversível, existem recursos, como aparelhos para surdez e óculos, que melhoram sensivelmente a capacidade de ver e ouvir. Portanto, consulte um especialista que possa orientá-lo.

Visão

Por volta dos 50 anos, a maioria das pessoas precisa de óculos para ler, andar ou dirigir. Acima dos 65 anos, um grande número sofre de Presbiopia, um distúrbio que impede a focalização adequada dos objetos próximos.

Não existe cura para tais alterações visuais, mas você deve consultar um oftalmologista regularmente . Novos óculos poderão ajudá-lo ou um exame poderá revelar um distúrbio paralelo, como a catarata ou o Glaucoma. Se você tiver diabete, deve ficar atento a qualquer alteração na visão.

Audição

Muitas pessoas têm dificuldade para ouvir, mas ainda assim não consultam um médico. Isso é lamentável, pois a perda de audição pode ser resultado de uma condição simples, de fácil tratamento, como o acúmulo de cera no ouvido.

A cera se acumula mais rapidamente em idosos , portanto, um médico deve ser consultado sobre a necessidade de uma lavagem no ouvido ou a utilização de uma substância emoliente sempre que notar que sua audição está prejudicada. Outra causa possível da perda de audição que pode ser tratada é a Otosclerose.

Não existe cura milagrosa para a perda gradual da audição provocada pela degeneração natural dos mecanismos auditivos. Portanto, não se deve hesitar em perguntar ao médico se poderá se beneficiar com o uso de um aparelho para surdez.

Em caso positivo, devese adquiri-lo e estudar sua utilização para o melhor aproveitamento. Jamais compre um equipamento desse tipo antes de consultar um médico, pois existem vendedores nãoespecializados e inescrupulosos que podem tentar vender um aparelho inadequado para seu caso.

Outros Sentidos

Dentre os sentidos que normalmente se tornam menos aguçados com a idade estão o paladar, o olfato e o equilíbrio. Não se preocupe se os alimentos tiverem sabor e cheiro menos atraentes do que costumavam ter.

Continue a se alimentar de forma saudável e variada e tente aumentar a quantidade de temperos naturais utilizados ao cozinhar. A falta de equilíbrio é algo mais sério, pois pode tornar a pessoa suscetível a Quedas.

Existe um tipo de percepção sensorial cuja deterioração pode colocar a vida em risco: é a sensibilidade a mudanças de temperatura. A pele de jovens adultos saudáveis pode detectar uma queda de temperatura de apenas ½°C no ambiente. Com o envelhecimento, é provável que essa sensibilidade diminua e você não perceba mudanças de até 5°C.

Este é o motivo pelo qual pessoas mais velhas tornam-se sujeitas à Hipotermia. Mudanças na sensibilidade à temperatura também podem ser causadas por distúrbios da glândula tireóide. Se sentir frio enquanto outros sentem calor, ou vice-versa, converse com um médico.

IDOSO E DEMÊNCIA

A demência é uma disfunção cerebral que resulta na perda progressiva da capacidade intelectual, afetando mais especificamente a memória. O problema pode ocorrer em qualquer idade.

Quais são as Causas ?

A demência em idosos é freqüentemente resultante da doença de Alzheimer. Nela, ocorre uma degeneração do cérebro e a conseqüente perda de diversas células; sua causa é desconhecida.

O derrame também pode provocar o mesmo tipo de problema. Uma forma comum entre as pessoas com mais de 75 anos é conhecida como demência multiinfarto, devido a bloqueios de muitos vasos sanguíneos.

Normalmente, nesses casos, a pessoa não fica paralisada e não apresenta outros sintomas graves, além dos que são característicos da disfunção. A ingestão de álcool é outra causa importante dessa doença em pessoas mais velhas.

Quais são os Sintomas ?

Os sintomas de demência geralmente começam com a perda da memória, principalmente de eventos recentes.

Aos poucos, outras funções intelectuais, como a habilidade de raciocínio e de compreensão, tornam-se alteradas e os indivíduos afetados podem perder o interesse pelo meio que os cerca e até mesmo pelas atividades mais simples e básicas.

É possível que ocorra uma mudança completa da personalidade. Nos estágios mais avançados, os movimentos às vezes são dificultados devido ao enrijecimento generalizado dos braços e das pernas. A degeneração mental e física resultante da demência pode evoluir gradualmente por dez anos ou mais.

O que Deve ser Feito ?

Muitas pessoas que aparentam sofrer de demência podem na realidade estar manifestando sintomas de outro distúrbio que pode ser tratado. É essencial que o idoso cuja perda de memória esteja interferindo em sua rotina (como perda de coisas importantes) passe por uma avaliação médica completa.

Alguns medicamentos, como soníferos, tranqüilizantes e certos tipos de analgésicos, podem provocar os sintomas da demência. Entre outras causas possíveis do distúrbio está a depressão, para a qual existe tratamento.

A bronquite e outras infecções que afetam o sistema circulatório desviam sangue do cérebro e podem levar ao início repentino da demência reversível. Hoje, a maioria das formas de demência em idosos é irreversível, mas pesquisas continuam sendo feitas.

A taxa de mortalidade da doença de Alzheimer tem aumentado significativamente nos últimos tempos. Nos Estados Unidos, por exemplo, ela passou de 857 casos em 1979 para 11.311 em 1987.

Especialistas em saúde pública não estão certos se houve um aumento no número de casos ou se esse crescimento se deve ao maior número de casos que chegam ao conhecimento dos médicos.

Sabe-se que os homens são mais afetados do que as mulheres, e os brancos, mais do que os negros. Essa doença é a principal causa de demência.


Uma Resposta a Evitar Quedas, Demência e Incontinência no Idoso

  1.  
    Taisa Valero Paes de Souza 01 / 12 / 2013

    Gostaria de saber o que fazer se o idoso sofre uma queda e aparentemente parece tudo bem??

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>