O que é Enxaqueca, Sintomas, Tratamentos e Riscos

Veja aqui Tudo sobre, a enxaqueca. Estudaremos o que a enxaqueca, os sintomas causados pela enxaqueca, as causas do desenvolvimento da doença, como evitar, como fazer o diagnóstico, quais os tratamentos, o que deve ser feito, quais os riscos da doença e muito mais. Confira!...

ENXAQUECA

As enxaquecas são dores de cabeça periódicas que começam, em geral, em um dos lados, normalmente acompanhadas de outros sintomas como náusea, vômito e visão distorcida, chegando a incapacitar, quase que por completo, enquanto duram.

Apesar das pesquisas médicas intensivas, não se sabe por que algumas pessoas estão sujeitas à enxaqueca nem o que as desencadeia. Em muitos casos, certos fatores parecem estar relacionados. Por exemplo, as cefaléias de enxaqueca tendem a ser hereditárias, levando a uma forte suspeita de que há um componente genético no distúrbio.

Em algumas pessoas, determinados alimentos, incluindo queijo, chocolate, cafeína e vinho tinto, provocam as crises. Freqüentemente, há uma relação entre as dores de cabeça recorrentes e a menstruação ou o estresse. Às vezes, até mesmo a expectativa do relaxamento após o estresse parece ser uma causa.

As enxaquecas também podem estar relacionadas a distúrbios psicológicos. Porém, geralmente a pessoa não relaciona sua cefaléia a esses fatores. A causa orgânica da enxaqueca é desconhecida. Por algum motivo, as artérias que suprem o cérebro se estreitam e, em seguida, se dilatam; a alteração no diâmetro das artérias parece produzir a dor.

O estreitamento das artérias também reduz o abastecimento de sangue em algumas áreas do cérebro, e isso provavelmente explica os outros sintomas, como visão distorcida, sensações estranhas, ou falta de sensações, fraqueza ou até mesmo breves paralisias.

Quais são os Sintomas?

As dores de cabeça severas características da enxaqueca são precedidas, e acompanhadas, de outros sintomas. A natureza de cada crise varia de pessoa para pessoa, mas geralmente há um período que antecede a crise, durante o qual pode-se sentir anormalmente cansado e indisposto. Esse período de “aviso” é seguido de náusea, vômito e, às vezes, diarréia.

Pode haver sensibilidade à luz (um estado denominado fotofobia). É possível também surgir algum tipo de embaçamento na visão, geralmente mais forte em um olho, como uma névoa, ou uma distorção em ziguezague. Os sintomas de aviso podem durar minutos ou horas.

Quando a dor de cabeça chega, os sintomas de aviso tendem a desaparecer. É provável que ocorra uma dor intensa, lancinante, que se inicia de um lado da fronte e que se espalha gradualmente. A dor geralmente passa a latejar e atinge toda a cabeça. Durante um episódio de enxaqueca, os olhos podem ficar vermelhos e a pessoa pode parecer pálida e doente.

Em alguns casos, a dor se centraliza entre o nariz e o olho, e pode haver coriza e lacrimejamento. A duração e o horário das dores de cabeça e os períodos sem dor são imprevisíveis, mas você pode aprender a prever a natureza e a duração dessas crises com base na experiência.

Outros sintomas menos comuns experimentados por algumas pessoas são dormência ou formigamento de um braço ou em um lado do corpo, tontura, zumbido nos ouvidos e confusão mental temporária.

Quais são os Riscos?

A enxaqueca é uma queixa comum nos consultórios médicos. Os episódios raramente se manifestam antes da puberdade ou depois dos 40 anos. Na realidade, algumas pessoas deixam de ter enxaqueca após atingir a meia-idade. A probabilidade de uma pessoa vir a sofrer de enxaqueca é maior se houver casos na família; e as mulheres são mais freqüentemente afetadas.

Apesar de provocarem dor intensa e sofrimento, as enxaquecas não são perigosas. Não é seguro, entretanto, tentar dirigir ou operar máquinas enquanto sente dor a ponto de distrair-se. Em algumas pessoas, a dormência, a fraqueza ou os distúrbios visuais tornaram-se permanentes, mas são casos extremamente raros.

O que Deve ser Feito?

Se tiver dores de cabeça recorrentes, severas a ponto de não poder controlá-las com analgésicos simples, como a aspirina, consulte um médico. Ele provavelmente poderá fazer um diagnóstico baseado na sua descrição dos sintomas. Em alguns casos, testes diagnósticos, desenvolvidos para excluir outras causas da dor, poderão ser realizados.

Qual é o Tratamento?

Auto-ajuda: você pode ser seu melhor médico, se tiver disposição para estudar seu caso detalhadamente. Mantenha um diário no qual registre não só o horário do início e a duração de cada crise mas também outros aspectos relevantes de sua vida. Tente ser objetivo.

Registre suas refeições, lanches e consumo de álcool, cafeína e refrigerantes. Anote o horário em que se deita e se levanta (algumas pessoas têm enxaqueca pela manhã e após um período na cama mais longo do que o normal). Assim que tiver um registro cuidadoso, algumas causas poderão tornar-se evidentes e você poderá tomar medidas preventivas.

Por exemplo, poderá perceber que tende a ter dores após períodos exaustivos de trabalho ou de estresse. Nesse caso, tente organizar-se de forma diferente. Evite uma agenda repleta e permita-se tempo para relaxar. Em algumas mulheres, os anticoncepcionais orais tendem a desencadear crises. Se
estiver tomando pílula, converse com o médico. Mudar o tipo de medicamento, ou interrompê-lo, ou ainda trocar o método de Contracepção poderá eliminar o problema.

Assim que puder reconhecer os sinais de aviso de uma enxaqueca, poderá vir a prevenila. No momento em que suspeitar de que a crise está chegando, tome o medicamento que você e o médico acharam mais eficaz. É muito mais fácil preveni-la em seus estados iniciais do que controlá-la após ter atingido o pico.

Ajuda profissional: a enxaqueca não tem cura, mas seus sintomas podem ser sensivelmente aliviados. O tratamento realizado nas etapas iniciais é o mais eficaz. Ele pode ser feito com analgésicos, como o acetaminofeno; com drogas que estreitam os vasos sanguíneos (vasoconstritores), como os preparados de ergotamina; ou com medicamentos que controlam a náusea e o vômito, incluindo os anti-histamínicos e as fenotiazinas.

Em crises severas e duradouras, injeções intravenosas ou intramusculares podem ser indispensáveis para acabar com a dor. A eficácia das drogas varia de pessoa para pessoa; portanto, pode-se levar meses até encontrar a que melhor se adapta a você.

O medicamento deve ser tomado apenas quando necessário e exatamente como prescrito, pois uma dose excessiva desse tipo de droga poderá provocar efeitos colaterais desagradáveis, incluindo dores de cabeça tão ou ainda mais fortes.

Enxaquecas severas recorrentes podem necessitar de tratamento preventivo e constante. Diversas drogas provaram ser eficientes para esse fim, incluindo os preparados de ergotamina, os betabloqueadores e os bloqueadores de canais de cálcio.

Esses medicamentos, entretanto, podem ter efeitos colaterais indesejáveis e devem ser utilizados somente sob supervisão médica rigorosa. Abordagens alternativas para a enxaqueca podem incluir terapia de relaxamento, ioga e biofeedback.


3 Respostas a O que é Enxaqueca, Sintomas, Tratamentos e Riscos

  1.  
    eurismar 14 / 08 / 2012

    nossa sofro dessa maldita , mas com fé em DEUS vai mi livra dela , tenho um sintoma igual a um sitado fico vendo uns maldito zig zague depois dores muito forte só melhoro depois de muito vomito , é muito ruim , achei legau as dicas de voces , parabens

  2.  
    Fabio Araújo 31 / 08 / 2013

    Eu tenho uma amiga que tem enxaqueca. Ela falsou que começou ressente tem cura ???

  3.  
    Ana 06 / 10 / 2013

    Eu venho sentindo fortes dores e latejadas no lado esquerdo da cabeça (fico muito pálida quando sinto essas dores na cabeça), visão muuuuito embaçada, formigamento e dormência nas pernas e braços e meu olha fica lacrimejando toda a hora. Será que isso possa ser enxaqueca?

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>