O que é esclerose múltipla (EM)? Tire suas dúvidas aqui!

Esclerose Múltipla (EM) é uma doença crônica que danifica os nervos na medula espinhal e no cérebro, bem como os nervos ópticos. A esclerose significa cicatriz e as pessoas com EM desenvolvem múltiplas áreas de tecido cicatricial em resposta ao dano nervoso. Dependendo de onde ocorre o dano, os sintomas podem incluir problemas de controle muscular, equilíbrio, visão ou fala.

 

Sintomas de EM: fraqueza ou entorpecimento

Os danos no nervo podem causar:

  • Fraqueza em um braço ou perna
  • Entorpecimento
  • Perda de equilíbrio
  • Espasmos musculares

Estes sintomas podem provocar tropeções frequentes ou dificuldades em caminhar.

Sintomas de EM: problemas de visão

Mais de metade das pessoas com EM experimentam um problema de visão chamado neurite óptica. Essa inflamação do nervo óptico pode causar visão turva, perda de visão de cor, dor nos olhos ou cegueira, geralmente em um olho. O problema geralmente é temporário e tende a melhorar dentro de algumas semanas. Em muitos casos, os problemas de visão são o primeiro sinal de esclerose múltipla.

Sintomas de EM: problemas de fala

Embora menos comuns do que problemas de visão, algumas pessoas com esclerose múltipla desenvolvem fala arrastada. Isso acontece quando EM prejudica os nervos que transportam sinais de fala do cérebro. Algumas pessoas também têm problemas para engolir.

Outros Sintomas de EM

O EM pode prejudicar a nitidez mental. Algumas pessoas podem achar que demora mais para resolver problemas. Outros podem ter perda de memória suave ou concentração de problemas. A maioria das pessoas com EM também experimenta alguma perda de controle da bexiga, porque os sinais entre o cérebro e a bexiga são interrompidos. Finalmente, a fadiga é um problema comum. Você pode se sentir cansado mesmo depois de uma boa noite de sono.

Acidente vascular encefálico VS Esclerose Múltipla

A confusão, a fala arrastada e a fraqueza muscular podem ser sintomas de EM, mas também podem ser sinais de acidente vascular cerebral. Qualquer pessoa que de repente tenha problemas para falar ou mover seus membros deve ser levada ao Hospital imediatamente. Tratar um acidente vascular cerebral dentro das primeiras horas fornece as melhores chances de uma recuperação bem sucedida.

Como EM ataca

Em pessoas com EM, o próprio sistema imunológico do corpo ataca o tecido que envolve as fibras nervosas no cérebro, na medula espinhal e nos nervos ópticos. Esta cobertura é feita de uma substância gordurosa chamada mielina. Ele isola os nervos e ajuda-os a enviar sinais elétricos que controlam o movimento, a fala e outras funções. Quando a mielina é destruída, as formas do tecido cicatricial e as mensagens nervosas não são transmitidas corretamente.

O que causa EM?

As raízes da EM permanecem misteriosas, mas os médicos vêem algumas tendências surpreendentes. É mais comum em regiões distantes do equador, incluindo a Escandinávia e outras partes do norte da Europa. Essas áreas recebem menos luz solar, então alguns pesquisadores acreditam que a vitamina D (a “vitamina do sol”) pode estar envolvida. Pesquisas sugerem uma possível ligação entre deficiência de vitamina D e transtornos auto-imunes, mas estudos estão em andamento. A genética parece desempenhar um papel, também.

Quem obtém EM?

O EM é pelo menos duas vezes mais comum nas mulheres do que nos homens. Embora possa atingir pessoas de qualquer raça, os caucasianos parecem estar em maior risco. As chances de desenvolver a condição são mais elevadas entre 20 e 50 anos.

Diagnosticando EM

Os testes são freqüentemente usados, juntamente com uma história médica e exame neurológico, para diagnosticar EM e descartar outras causas de sintomas. Mais de 90% das pessoas com EM apresentam tecido cicatricial que aparece em uma ressonância magnética. Uma torção espinhal pode verificar se há anormalidades no líquido que banha o cérebro e a medula espinhal. Testes para verificar a atividade elétrica dos nervos também podem ajudar com o diagnóstico. Testes de laboratório podem ajudar a descartar outras condições auto-imunes ou infecções como HIV ou doença de Lyme.

 

Como é o progresso da EM?

EM é diferente em cada pessoa. Médicos geralmente vêem quatro formas:

Recorrendo-remitente: os sintomas se acendem durante ataques agudos, então melhoram quase completamente ou “remitem”. Esta é a forma mais comum de EM.

Progressivo primário: EM lentamente, mas continua a piorar.

Secundário-progressivo: Começa como tipo recidivante-remitente, então se torna progressivo.

Progressiva-recidiva: a doença subjacente piora constantemente. O paciente apresenta recidivas agudas, que podem ou não remeter. Esta é a forma menos comum de EM.

EM e tempo

A pesquisa sugere que a doença pode ser mais ativa durante os meses de verão. O calor e a alta umidade também podem piorar temporariamente os sintomas. Temperaturas muito frias e mudanças repentinas de temperatura também podem agravar os sintomas.

Tratando EM: Medicamentos

Embora não haja cura para a EM, existem “medicamentos que modificam a doença” que podem reduzir a freqüência e a gravidade dos ataques de EM. O uso pode resultar em menos danos ao cérebro e à medula espinhal ao longo do tempo, retardando a progressão da deficiência. Quando ocorre um ataque, os corticosteróides com altas doses podem ajudar a cortá-lo. Muitas drogas também estão disponíveis para gerenciar sintomas preocupantes da EM, como espasmos musculares, incontinência e dor.

Tratando EM: Gerenciamento de Dor

Cerca de metade das pessoas com EM desenvolvem alguma forma de dor, como resultado de um curto circuito no sistema nervoso ou por espasmos musculares ou tensão. Os médicos podem prescrever antidepressivos e medicamentos anticonvulsivantes para aliviar a dor do nervo. Medicamentos contra a dor e medicamentos anti-espasmo também podem ser usados. A dor muscular muitas vezes responde bem à massagem e à fisioterapia. Certifique-se de discutir as opções com seu médico se você se sentir com dor.

Tratando EM: Fisioterapia

Se a EM afeta o equilíbrio, a coordenação ou a força muscular, você pode aprender a compensar. A terapia física pode ajudar a fortalecer os músculos, combater a rigidez e se locomover com mais facilidade. A terapia ocupacional pode ajudar a manter a coordenação em suas mãos para vestir e escrever. E se você está tendo problemas para falar ou engolir, um terapeuta de fala pode ajudar.

 

Terapias complementares para EM

Muitas terapias não tradicionais para EM não foram bem estudadas. Algumas pessoas dizem que a acupuntura alivia os sintomas como espasmos musculares e dor, mas a pesquisa para confirmar seu valor não é conclusiva. Outros relataram benefícios de injeções de veneno de abelhas, mas um estudo rigoroso, com duração de 24 semanas, não mostrou melhorias na incapacidade, na fadiga ou no número de ataques de EM. É importante informar seu médico sobre quaisquer suplementos, dietas especiais ou outras terapias que você queira tentar.

EM e Gravidez

Os médicos geralmente concordam que é seguro que as mulheres com EM fiquem grávidas. Pesquisas sugerem que não há risco aumentado de complicações durante a gravidez. Na verdade, muitas mulheres têm menos sintomas de EM durante a gravidez. Níveis elevados de hormônios e proteínas podem suprimir o sistema imunológico, reduzindo as chances de um novo ataque. É melhor conversar com seus médicos antes da gravidez, pois certas drogas de EM não devem ser usadas durante a gravidez ou a amamentação. Nos primeiros meses após o parto, as chances de uma recaída podem aumentar.

Ficar Móvel com EM

A grande maioria das pessoas com EM é capaz de continuar a caminhar, embora muitos se beneficiem de algum tipo de dispositivo assistido. As inserções de calçados ortográficos ou os aparelhos para perna podem ajudar a aumentar a estabilidade. Quando uma perna é mais forte do que a outra, uma bengala pode ajudar. Pessoas com problemas significativos com as pernas podem precisar usar um caminhante. E uma cadeira de rodas ou scooter pode ser melhor para aqueles que são muito instáveis ​​ou se cansam facilmente.

Adaptando sua casa para EM

Fazer algumas mudanças ao redor da casa pode ajudá-lo a gerenciar as atividades diárias por conta própria. Instale barras de apoio dentro e fora do chuveiro ou banheira. Use uma esteira antiderrapante. Adicione um assento elevado e trilhos de segurança ao banheiro. Abaixe um dos seus contadores de cozinha para que você possa alcançá-lo de uma posição sentada. E se livrar de todos os tapetes, que são um perigo de tropeçar.

EM e exercício

O exercício pode aliviar a rigidez, a fadiga e outros sintomas da EM. Mas exagerar poderia piorar as coisas. É melhor começar devagar. Tente exercitar durante 10 minutos de cada vez e, gradualmente, trabalhe até uma sessão mais longa. Antes de começar, verifique com seu médico qual o tipo de atividade e o nível de intensidade que seria mais apropriado. Algumas possibilidades incluem aeróbica aquática, natação, tai chi e ioga.

Perspectiva para EM

A maioria das pessoas com EM vive uma vida normal ou quase normal. Embora a condição possa tornar mais difícil contornar ou completar certas tarefas, nem sempre leva a uma incapacidade severa. Graças a medicamentos eficazes, terapias de reabilitação e dispositivos de assistência, muitas pessoas com EM permanecem ativas, permanecem em seus empregos e continuam a desfrutar suas famílias e atividades favoritas.

 

Faça o primeiro comentário a "O que é esclerose múltipla (EM)? Tire suas dúvidas aqui!"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*