Tutorial Como jogar e solucionar o Sudoku

O que é sudoku?
Sudoku é um quebra-cabeça numérico que normalmente consiste em uma grade de 9×9
(nove linhas e nove colunas) dividida em caixas de 3×3, onde alguns números já foram previamente dispostos.
Eis um exemplo:

O objetivo do quebra-cabeça é preencher os quadrados restantes com números de 1 a 9, de
modo que:
Cada linha contenha todos os números de 1 a 9;
Cada coluna contenha todos os números de 1 a 9;
Cada caixa de 3×3 contenha todos os números de 1 a 9.
Atente que os números de 1 a 9 devem aparecer somente uma vez em cada linha, em cada coluna e em cada caixa de 3×3.

2. O que faz um quebra-cabeça
de qualidade?
Um sudoku bem construído possui somente uma solução possível e, para encontrá-la, o jogador deve dispor de procedimentos lógicos, feitos passo a passo.
Como se vê, os quebra-cabeças podem diferir em dificuldade, dos fáceis aos extremamente difíceis, dependendo de quantos números são fornecidos de antemão e suas disposições na grade.
Não são necessários cálculos ou habilidades aritméticas. Tanto que alguns sudoku  empregam letras (ou outros símbolos) no lugar de números. É inteiramente um teste de  lógica, mas que requer muita perseverança e paciência. Aqui está a solução para o quebra- cabeça. E Posteriormente, explicaremos os estágios que levaram a esse resultado.

Antes de continuar, seria interessante que o leitor conferisse que cada um dos números de 1 a 9 aparece somente uma vez em cada linha, em cada coluna e em cada caixa de 3×3.

3. Por que “sudoku”?
A despeito de seu nome, sudoku não possui origem japonesa. Ele parece ter se originado em New York no final da década de 1970, quando a Dell Magazines, editora norte-americana famosa por seus quebra-cabeças, incluiu alguns em estilo sudoku na sua revista Math Puzzles and Logic Problems (“Quebra-cabeças Matemáticos e Problemas Lógicos”), sob o nome “disposição de números”.
O sudoku não chegou ao Japão até a metade dos anos 1980. A companhia japonesa de quebra-cabeças Nikoli descobriu os problemas de “disposição de números” norte-americanos e os introduziu aos leitores de sua evista Monthly Nikolist em abril de 1984.  Eles deram ao problema o mordaz título de Sunji wa dokushin nikagiru (traduzido literalmente por “os números são limitados a apenas uma vez”). Em breve, o nome fora
abreviado para sudoku (ou su doku). Grosso modo, “su” significa número e “doku”, único.
Levou um certo tempo para que o sudoku se estabelecesse no Japão. Em 1986, a Nikoli introduziu duas regras gerais para seus quebra-cabeças:
A disposição dos números deveria ser simétrica. Se a pessoa rotasse o quebra-cabeça em 180°, o padrão dos quadrados preenchidos previamente (embora não os números) permaneceria o mesmo; O número de quadrados preenchidos previamente deveria se limitar a 30.
Desse momento em diante, o sudoku decolou no Japão. Ainda hoje, ele permanece extremamente popular, com cinco editoras produzindo mensalmente revistas de sudoku para mais de meio milhão de leitores.

História
A mania sudoku chegou no Ocidente com um toque de vingança.
Como outros quebra-cabeças inspirados em grades quadriculadas (como palavras cruzadas e xadrez), o sudoku pode ser fácil, mas também pode ser um desafio para o mais experimentado decifrador de enigmas. Como o cubo Rubik uma geração antes, o sudoku exerce fascínio na imaginação de pessoas de pouca e muita idade, sendo utilizado em escolas para o ensino de raciocínio lógico.
Muito da sua popularidade vem do fato de as regras básicas serem extremamente simples. A área se resume a uma grade de 9×9 dividida em nove grades menores (caixas) de 3×3, com alguns números já dispostos nela. O jogador deve preencher o restante da grade de
modo que um mesmo número não apareça duas vezes numa mesma linha, coluna ou caixa.
Embora apareçam números no sudoku, não é necessário nenhum conhecimento de matemática. Esse não é um quebra-cabeça aritmético, requerendo somente pensamento lógico, perseverança e paciência. Este livro difere dos outros sobre sudoku, cuja
maioria se inicia com algumas páginas de explicação e dicas para a solução dos quebra-cabeças. Depois, apresentam uma ampla gama de grades para serem solucionadas.
Em contraste, este livro se concentra em como solucionar o sudoku. Ele apresenta uma abordagem sistemática para sua resolução, iniciando com os quebra-cabeças mais simples e, gradualmente, avançando para aqueles mais difíceis, fornecendo dicas úteis, sugestões e informações ao longo do caminho.
Assim, o livro será útil tanto para o iniciante como para as milhares de pessoas que principiaram no sudoku por diversão e que ficaram fascinadas, desejando aperfeiçoar suas técnicas resolutivas.
Os quebra-cabeças sudoku podem ser extremamente divertidos. Esperamos que este livro o ajude a gostar deles ainda mais.

4. Sudoku conquista o mundo
A febre sudoku atingiu o Reino Unido pela primeira vez em 2004.
Wayne Gould, juiz aposentado da Suprema Corte vivendo em Hong Kong, descobriu o sudoku num livro de quebra-cabeças de Tóquio em 1997. Então, investiu os anos seguintes projetando programas de computador para criar sudoku. Depois, supriu jornais ao redor do mundo com seus quebra-cabeças.
Em 2004, Gould enviou um sudoku para o The Times de Londres, que o publicou pela primeira vez no dia 12 de novembro (eles ainda figuram no jornal, em quatro níveis de dificuldade: fácil, intermediário, difícil e “diabólico”). Três dias depois, o Daily Mail introduziu o sudoku, sob o nome Codenumber (“código numérico”).
Na Páscoa de 2005, desenvolveu-se uma imensa indústria caseira de sudoku. No dia 16 de maio, a seção G2 da revista Guardian, “lar do perspicaz fã de sudoku”, inseriu um quebra-cabeça em cada página, afirmando que, “em oposição às risíveis versões inferiores vomitadas por programas de computadores, […] todo quebra-cabeça da seção G2 de hoje foi passionalmente concebido, nos altos aclives do Monte Fuji, por um mestre faixa preta de
sudoku”.
Nessa época, a maioria dos jornais britânicos havia aderido à moda, competindo entre si e oferecendo prêmios para quem solucionasse sudoku de complexidade e originalidade crescentes. Desde que apareceu, o sudoku viajou o mundo, com aficionados espalhados pelos Estados Unidos, Europa, Ásia e Austrália.
É verdade que alguns países ainda resistem a sucumbir ao poder do sudoku. Mas isso é apenas questão de tempo.

No link abaixo, você poderá aprender como resolver o sudoku:

3 comentários a "Tutorial Como jogar e solucionar o Sudoku"

  1. Guilherme | às | Responder

    No site foi colocado um sudoku de nível, com certeza, difícil ou ‘diabólico’, como é chamado. Já o vídeo contém uma explicação para um sudoku que eu diria ‘sem nível’. Seria mais sensato um tutorial que explique como resolver um jogo do nível de dificuldade apresentado no exemplo.

  2. OLÁ , ISSO ME AJUDO BASTANTE NA FEIRA DE MATEMATICA , PARABÉNS 🙂

  3. Isso É Praticamente,pra quem tem cabeça de lutar com isso amanhãn tem um teste com isso pqp e eu ñ sei de nada praticamente naaaaaaaaaaaa *-*

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*


 

Tutorial Como jogar e solucionar o Sudoku - TutorZone