Tutorial Inkscape – Otimização de nós

Em qualquer documento de qualquer espécie, existe uma regra simples. Maior o número de elementos, maior a complexidade de seu conteúdo e, consequentemente, maior o seu tamanho (espaço em disco). Documentos gerados por programas vetoriais não fogem à regra. Programas vetoriais trabalham com linhas, linhas essas  que, aparentes ou não, determinarão o contorno do desenho. Uma linha, para ser formada, precisa ao menos de dois pontos:

Até aí o óbvio, quanto maior o número de vértices, maior o número de pontos, ou, como são chamados, nós. Um triângulo inevitavelmene será constituído no mínimo por 3 nós (digo no mínimo, pois, ainda que permaneçam inutilizados, é possível colocar inúmeros nós em uma linha), assim como um retângulo por 4 e por aí vai. Porém, surge a pergunta: E um círculo?

Embora esses círculos, a princípios idênticos na forma, pudessem ser feitos a partir de um número idêntico de vértices, não o foram. Na verdade, o primeiro, preto, foi feito com quatro, o segundo com três e o terceiro com 2 (o mínimo para se ter uma linha). Em outras palvras obtivemos o mesmo resultado com o círculo preto e com o círculo vermelho, sendo que o primeiro possui o dobro do número de nós do último, ou seja, maior peso.(em espaço em disco). Como fazer isso? Simples. Primeiro, temos que ter noção de como funcionam as chamadas Curvas de Bézier.

Essas, podem ser definidas da seguinte maneira:
-”A curva de Bézier é uma curva polinomial expressa como combinação baricêntrica de alguns pontos representativos, chamados de pontos de controle. “Em termos práticos, é o que nos permite encurvar as linhas provenientes de um nó, a partir de alças (alças de Bézier) geradas no mesmo, o seja, nos permite transformar isso:

Nisso:

Agora, peguemos como exemplo novamente a reta utilizada no início, com dois pontos:

Utilizando as alças de Bézier, podemos tranforma-la em uma curva:

A questão é: Se quisermos continuar essa curva, o que seria mais simples? Criar outro ponto à frente?

Ou alongar a curva em questão?

O caso é que, simplesmente alongando-se mais as alças de Bézier, obteremos o mesmo resultado que se utilizássemos mais nós, o que nos dará um resultado de maneira mais simples e mais leve. Ou ainda, em maior escala, poderíamos reduzir consideravelmente o tamanho e a complexidade de um desenho simplesmente por cortar os nós desnecessários.

Faça o primeiro comentário a "Tutorial Inkscape – Otimização de nós"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*


 

Tutorial Inkscape - Otimização de nós - TutorZone