Tutorial Manual do Photo-Paint X3

Capítulo 1: INTRODUÇÃO:Este Manual básico de PHOTO-PAINT permitirá que, aqueles que são iniciantes recentes e que estão apenas começando a aprender a manusear o programa, tenha mais facilidades ao conhecer os aspectos práticos e alguns segredos, para trabalhar rapidamente com imagens bitmap. O manual baseia-se na versão X3, mas quase tudo o que é explicado aqui, são aplicados nas versões anteriores do programa.

Absolutamente todas as imagens contidas nessa apostila do Tutorzone, foram criadas, editadas e otimizadas usando o corel PHOTO-PAINT e outos programas da suíte Corel.

Corel PHOTO-PAINT é um potente programa editor de imagens bitmap de nível profissional, que está incluído no pacote do Corel Graphics Suíte (versão anterior) e no CorelDRAW Graphics Suíte X3. Com ele é possível modificar e editar imagens rasteirizadas, ou criá-las partindo do zero. A interface do programa é extremamente amigável como a do seu irmão CorelDRAW.

As imagens digitais são divididas em 2 tipos. Imagens Vetoriais, que podem ser criadas com qualquer programa, que utilize curvas, ou pistas vetoriais como o CorelDRAW, Ilustrador, Inkscape, e outros. Freqüentemente são independentes da resolução: ao qual ele poderá escalar sem sacrificar a sua qualidade. Corel PHOTO-PAINT cria imagens raster, rasteirizadas, ou chamadas também de bitmaps, como as fotografias. Elas estão intimamente ligadas à resolução: a uma maior resolução mais definição e detalhes que complementará a sua imagem; se tratando de ampliár-la desde um programa vetorial ou do desktop publishing, sua qualidade deixará muito a desejar.

qualidade

A imagem à esquerda, é de tipo vetorial, feita no CorelDRAW, a outra foi editada como um bitmap.

A Resolução:

O píxel é a unidade de medida, ao qual as imagens estão dentro do computador. Ampliando uma imagem será possível analisar, que ela foi feita como se fosse uma ”grade” ou ”tecidos” composta totalmente por pequenos quadradinhos. Esses são os pixeis.

As imagens bitmaps são feitas de uma malha ou quadriculadas, composta por pixeis.

A resolução é o número de pixeis por polegadas (lineais) que terá uma imagem uma vez impressa. Geralmente é medida usualmente em polegadas, onde determinam quantos pixeis terá cada polegada da imagem. Uma maior resolução ou seja, mais pixeis contidos mais nitidez, e detalhes terá uma imagem. Freqüentemente denomina-se ppp (pixeis por polegada), ppi o dpi (dots per inch) na língua inglesa.

A resolução é uma dimensão diferente. Esta última define as medidas físicas (em pixeis, milímetros, centímetros, polegadas, etc.) que terá uma imagem. Apesar que são duas coisas diferentes, resolução e dimensão, estão
intrinsecamente ligadas: se reduzirmos a dimensão da imagem, aumentará sua resolução e vice-versa.

Utilizando o comando ”Manter tamanho original” e definindo milímetros como unidade de medida, iremos escalar a dimensão original em 50% e 25% respectivamente. O resultado é que em cada caso a resolução irá ser duplicada.

Mas também é possível redimensionar uma imagem sem alterar a sua resolução. Neste caso a opção Manter tamanho original NÃO deve estar ativada. O tamanho a que se refere a esta opção é o peso que tem ou terá o arquivo no disco.

Uma imagem perfeita, poderá ser visualizada no ecrã, mesmo em baixa resolução, mas se não nos assegurarmos, em ter uma resolução suficiente boa, para essa imagem, ao imprimir-la você poderá vê-la com um aspecto de estar recortada ou ‘pixelada’.

Diz-se que, quando se trabalha imagens para a web ou para telas, que a resolução não é importante, mas se ela for feito em um sentido inverso, é a mesma coisa de dizer, que ela só será suficiente quando tiver uma média de 72 ppp à 96 ppp. Aumentar-la não só é desnecessário, como compromete a contra a sua própria produção, pelo peso que ela gera, pois as imagens mais conhecidas da web, precisam ser muito rápidas e leves para que seu download seja imediato.

Opções e Modos de Cores:

Os modos e opções de cores, são maneiras diferentes de definir a sua cor, tanto em telas, como em páginas impressas.

Existem diversos modelos de cores:

RGB (RVA): Ele é conhecido como um modo aditivo, pois para clarear uma cor, é preciso adicionar quantidades mais elevadas de luzes Vermelhas, Verdes e Azuis. Cada uma destas cores podem ter até 256 níveis de intensidades. É o modelo ideal para editar imagens em telas e é muito usado também por todos os dispositivos que filtram e transmiten luz como: os televisores, os projetores, scanners, etc.

HSB: (Tom, saturação e brilho) O tom é uma cor pura. A saturação representa a intensidade da cor. O brilho é a luminosidade ou escuridade de uma cor.

CMYK (CMAN): É composto pelas cores: azul céu, rosa, amarelo e preto. Ele é conhecido como, um modo subtrativo e são aplicados aos pigmentos. Quando a luz se projeta sobre um objeto, ele absorve luzes e reflete sobre o resto. A luz refletida é a cor que podemos observar. Estas cores não são tão puras e brilhantes como as do modo RGB, mas é o modo que as impressoras utilizam.

LAB: Criado por meio da chamada Comissão Internacional de Iluminação (CIE), teoricamente cobre as cores RGB e CMYK e, é independente de luz e dos pigmentos. Contém 3 canais: uma para luminosidade (L) e as outras duas (a e b) para gamas de cores.

Branco e Preto: Deste modo cada píxel contém um pouco de informação, com apenas duas opções de cores, preto e branco. É possível simular tonalidades da cor cinza por meio de indecisões, que é uma técnica que converte a imagem em pontos, linhas ou motivos que nosso olho pode perceber como um tom contínuo.

Escalas Cinzentas: representam uma informação usando 8 bits por píxel e tem a possibilidade de 256 tonalidades de cinzas. Desde 0, a tons mais escuro e 256, o mais claro.

Cores Indexadas: chamadas também de Imagens com paletas. Ela pode  representar com o máximo de 256 cores de 8 bit por pixel. Geralmente é usada para imagens GIF o PNG, ao reduzirmos o número de cores, será reduzida também o peso do arquivo. Inclui também a possibilidade de tramagem para simular mais cores.

Um tema importante quando falamos em modelos de cores é a profundidade de sua cor, isso significa a quantidade de bits que requer cada píxel, para exibir a sua coloração. As profundidades mais usadas são de 1 bit (2 cores) modo branco e negro, 4 bits (16 cores), 8 bits (256 cores) como o modo Indexado, 16 bits (65,000 cores), 24 bits (16,7 milhões de cores) como o RGB e 32 bits (16, milhões de cores) como CMYK.

Os métodos mais usados na edição digital são os RGBs, por que é o modo que oferece um melhor resultado e uma melhor performance para a aplicação de filtros e efeitos (muitos deles trabalham exclusivamente com este modelo de cor). Todo trabalho feito em telas ou na web, deve ser editada para um  modo RGB, enquanto que o modo CMYK é utilizado para imprimir trabalhos. Ainda assim é muito comum que essas imagens se produzam e se editem em modo RGB e após a sua conclusão se convertam a CMYK.

Tons Duplos:

Estas são imagens em escalas de cinzas, que são imprimidas em duas tintas ou em cores diretas, embora seja possível utilizar 3 tintas (tons triplos) ou 4 tintas (tons quádruplos) ou simplesmente uma (monotom). Essa técnica enriquece a profundidade da imagem permitindo tonalidades adicionais para as luzes, sombras e tons médios.

Para criar um tom duplo, partindo de uma imagem colorida, é bom criarmos uma cópia e ir em Imagem / Converter a / Tons Duplos.

Sobre as Cores:

Um tema de expressa importância, sobre a cor é a Administração ou Gestão de Cores. Da mesma forma que vemos em uma loja de eletrodomésticos muitos televisores à cores, e em cada um deles captamos as cores em formas diferentes, em um monitor também acontece o mesmo. Os diferentes modelos de scanners e impressoras também possui diferentes cores. Para garantir que aquilo que vemos, no computador possa ser impresso de forma muito similar, pode ser utilizado o Gerenciamento de Cores.

No Corel PHOTO-PAINT pode ser acessado pelo menu Ferramentas/Administracão de Cor.

1 comentário a "Tutorial Manual do Photo-Paint X3"

  1. CLAUDIO RUIZ DE CARVALHO | às | Responder

    GOSTEI! MAS PODERIA SER UM POUCO MAIS COMPLETO.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*